Newsletter

Nome:
E-mail:

Notícias

26/01/2012 - Intoxicação alimentar podem estragar as férias de verão no litoral

Quem nunca teve as férias interrompidas por uma intoxicação alimentar depois de se aventurar em um espetinho de origem duvidosa na praia? Por isso, a orientação da Vigilância Sanitária de Rio Claro (Visa) para quem vai sair de férias é prestar muita atenção antes de consumir produtos de ambulantes.


Quando bater aquela fome beira-mar, os consumidores devem dar preferência aos quiosques. “A sugestão é escolher o local pela higiene dos atendentes, organização e limpeza do ambiente. Principalmente no verão, o cliente deve conferir se o quiosque possui refrigerador. Caso contrário, procurar outro estabelecimento para comer”, afirma Agnaldo Pedro da Silva, coordenador da Visa.


Outro cuidado é quanto à higienização e manipulação dos alimentos. De acordo com Agnaldo, o consumidor deve observar se a bancada e os utensílios estão limpos e se os alimentos estão expostos em local adequado e refrigerado. “Os consumidores também devem observar se o estabelecimento tem licença de funcionamento expedida pela Visa. Ela atesta que o local está em conformidade com a lei. O documento deve estar afixado em local visível. Se não estiver, o cliente pode pedir para ver a licença, além de poder solicitar uma visita à cozinha”, acrescenta o coordenador.


Também há necessidade de cuidado redobrado com refeições à base de ovo, uma fonte em potencial para a transmissão da Salmonella enteritidis, bactéria responsável por 50% dos casos de gastroenterites. “A população não deve consumir ovos mal cozidos ou crus e pratos realizados à base de claras e gemas cruas”, orienta.


A Secretaria de Estado da Saúde ainda adverte sobre os cuidados na hora de consumir tortas e salgados. Quando não assados corretamente, podem alojar a bactéria Clostridium botulinum, causadora do botulismo, doença que pode provocar paralisia flácida das pálpebras, falta de ar, fraqueza muscular, além de dificuldade para falar ou engolir. Se não tratada a tempo, pode levar até à morte.


Segundo Agnaldo, a recomendação é levar para a praia alguns petiscos de casa. “A melhor opção é levar algumas frutas e preparar lanches para toda a família. Lembrando de acondicionar bem esses alimentos em caixa térmica com gelo de boa procedência. Alimentos perecíveis mantidos à temperatura ambiente por tempo prolongado sofrem alterações que podem desencadear o crescimento de bactérias ou toxinas que causam diarreia e vômito”.


Já as latinhas de refrigerantes ou outras bebidas devem ser lavadas com água e sabão antes do consumo. “Além de evitar comer em lugares que não conhecem, as pessoas também devem lavar bem as mãos antes das refeições”, conclui.

Fonte: Ana Ligia Noale, Jornal Cidade.

Laboratório Grams Perini - Todos os direitos reservados

Fone: (51) 3653-3555